PROJETO LONDRINENSE MARCA O AMOR DAS PESSOAS POR SEUS PETS EM FORMA DE TATUAGEM

PROJETO LONDRINENSE MARCA O AMOR DAS PESSOAS POR SEUS PETS EM FORMA DE TATUAGEM

O Pet na Pele surgiu em 2017 e, hoje em dia, já soma aproximadamente 200 tatuagens feitas em diversos tutores

Os animais de estimação estão presentes em milhões de lares brasileiros. No último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), eles já somavam uma população de 13,9 milhões, entre cães, gatos, aves e outros. O carinho entre esses bichos e o ser humano é expresso de diversas formas. Em determinados casos, as vivências são tão significativas para os envolvidos que surge o desejo de eternizar a relação. Para isso, em Londrina, norte do Paraná, existe o projeto Pet na PeleVanessa Veber traduz esse amor entre tutores e animais na forma de tatuagem.

Formada em Artes Visuais, a tatuadora lançou o Pet na Pele em 2017. A primeira arte foi o retrato de um cachorrinho da raça Corgi. A tutora dele procurou Vanessa e contou sobre o desejo de homenageá-lo. Apaixonada por si só pelo mundo animal, a tatuadora fez diversos estudos técnicos para conseguir lançar o projeto de uma forma que as produções fossem fieis às anatomias e às características de cada pet.

Desde o brilho nos olhos até um fio da pelagem, cada detalhe é importante para ilustrar a personalidade do animal. Acompanhe o processo de uma tatuagem neste vídeo:

Quanto mais desenhos do projeto eram divulgados, mais interessados começaram a surgir. Hoje em dia, após quatro anos de trabalho, Vanessa já perdeu as contas de quantas vezes se dedicou ao Pet na Pele, mas arrisca dizer que atingiu a marca de duzentas ilustrações. Cães e gatos são os campeões de pedidos, entretanto houve um tributo a um coelho e até a procura para tatuar um cavalo.

“Eu acho sensacional conhecer as histórias e tatuar, é um jeito de tornar meu trabalho mais significativo também. Eu sempre quis trabalhar com alguma coisa que tivesse um significado para mim, que me trouxesse não somente satisfação financeira, mas também satisfação pessoal. O projeto dos pets me proporciona isso”, Vanessa conta.

No estúdio que fica no centro de Londrina, um dos depoimentos mais emocionantes que a profissional conheceu foi o de Laura Bicalho e a cachorrinha Cinha, apelido para Gracinha. A Cinha foi um presente de uma pessoa especial na vida de Laura: o seu avô Vicente. As duas cresceram juntas na família. Quando Vicente foi internado, Laura resolveu que iria tatuar o carinho que ela sentia pela cachorrinha, que também estava doente, e pelo avô.

Fonte: ricmais.com.br

Capi
A autora

Capi

A Capi nasceu em 2020 no parque Barigui em uma família de capivaras, mas viu que o seu negócio mesmo não é caçar e nem procriar, é FOFOCAR. Teve sucesso muito cedo e agora, além de com  DJ oficial da RIC FM ela passa está sempre nas nossas redes sociais contando as maiores tretas dos famosos no quadro Capi Indelicada! Vem conhecer a Capi no @radioricfm no Instagram e no Facebook 😉

Deixe seu comentário

Outras notícias

Vilões no prato: nutricionista e educadora física Dani Borges revela quais alimentos fazem muito mal à saúde

Vilões no prato: nutricionista e educadora física Dani Borges revela quais alimentos fazem muito mal à saúde

Leia mais >>
Internet deixa alunos menos inteligentes segundo neurocientista e psicanalista

Internet deixa alunos menos inteligentes segundo neurocientista e psicanalista

Leia mais >>
Aulas presenciais: retomada da rotina deve ser feita com cuidados mentais, revela neuropsicopedagoga

Aulas presenciais: retomada da rotina deve ser feita com cuidados mentais, revela neuropsicopedagoga

Leia mais >>